Abrace-me se for capaz! Relacionamento & Email marketing

Poucas coisas neste mundo nos trazem tanta satisfação quanto receber um belo abraço apertado, não concorda?

Ainda mais se o afago partir de alguém querido.
gif-freud
Tal fenômeno ocorre porque somos uma espécie sociável e altamente suscetível ao toque.

Nós simplesmente adoramos (e precisamos) envolver-nos com outras pessoas — antes de dizer que tem um parente antissocial ou que conhece alguém super-ultra-reservado e blá blá blá, lembre-se: está é uma afirmação genérica, ok?

Pra que tanta melação?

2

Aproveitando o mote do Dia do Abraço (22/05), resolvi traçar um paralelo entre o carinhoso gesto e a criação de laços pessoais via campanhas de e-mail.

Neste artigo você descobrirá por que deve “abraçar” os contatos de suas listas e como a proximidade poderá reverter excelentes resultados para as suas campanhas.

O de sempre, senhor?

3

Convenhamos, quem é que não gosta de chegar a um restaurante ou qualquer outro estabelecimento comercial e ser reconhecido?

Agora imagine se, além do reconhecimento, o atendente já estiver a par de suas preferências e hábitos de consumo. Melhor ainda, não?

As chances de você ser cativado e, sobretudo, retornar ao local se multiplicam.

Pois é. Agora veja que legal: o relacionamento via e-mail marketing obedece a mesma lógica!

<proximidade = <engajamento.

“Junto e misturado”

Certo, agora chega de rodeios e vamos aprender a trabalhar este conceito:

1# Da parte de quem?

5

Insira, sempre que puder, o nome do cliente no corpo e no assunto do e-mail. Ao fazê-lo, além de proporcionar mais aberturas para a campanha, você dilata seu corpo de leitores.

O destinatário, quando percebe seu nome em algum canto da peça, tende a dedicá-la sua atenção, ainda que inconscientemente, pois tem a certeza de que tal conteúdo lhe diz respeito.

“Ah, mas eu não tenho os nomes dos clientes nas minhas listas!”

Nesse caso, amigão, eu lamento informar, mas isso precisa ser remediado. Tão logo quanto possível.

Para tanto, você pode recorrer a duas alternativas:

  • A primeira — e mais simples — delas consiste em enviar uma campanha de captação de dados para seus contatos, oferecendo algum benefício ou contrapartida aos destinatários que se propuserem a atualizar os cadastros.
  • A segunda alternativa é adicionar um campo dedicado à identidade do cliente em seu formulário de optin (captação de contatos), de maneira que o envio dos dados esteja alienado ao preenchimento integral das informações requisitadas.

Detalhe: não se esqueça de criar uma nova lista para receber tais contatos, certo?

2# Linha Direta

6

Estabeleça uma linguagem direta com seu cliente.

Não floreie seu e-mail nem faça usufruto de linguagem demasiadamente rebuscada. O cliente não quer perder tempo e, certamente, também não deseja ter de interpretar sua mensagem.

Seja claro e objetivo. Sem milongas!

Um bom parâmetro para esta questão é pedir que alguém — completamente leigo — leia sua mensagem antes de enviá-la. Verifique se o indivíduo levou tempo demais para ler o e-mail e, principalmente, se compreendeu o conteúdo nele abordado (“A voz do povo é a voz de Deus”).

3# Cada qual no seu quadrado

7

Procure enviar e-mails cujo conteúdo seja pertinente aos contatos de sua lista. A abordagem da peça deve ser condizente com os anseios de seu público.

Por mais óbvio que pareça, este é um erro assustadoramente comum no segmento de e-mail marketing.

Não pega bem, por exemplo, enviar uma peça com “novidadinhas” para uma lista majoritariamente masculina ou uma newsletter mercadológica destinada ao público infanto-juvenil — há alguns meses, uma clínica estética desconhecida enviou-me uma promoção relativa à lipoaspiração mamária e, confesso, fiquei um tanto ofendido.

Portanto, segmente suas listas de contatos — respeitando os sexos, idades, geografia e afinidades dos destinatários — e envie peças relevantes a elas. Através deste valioso recurso, suas campanhas apresentarão uma notável melhora (além de poupar-lhe muitos créditos de envio).

4# Ê lá em casa…

8

Sua empresa tem uma conta no Facebook, Twitter, Instagram e afins? Perfeito!

Divulgue-as em suas peças de e-mail marketing e convide seus destinatários a integrá-las.

Seja um bom anfitrião! Ao acolher seus contatos nas redes sociais, você passa a participar de suas rotinas e compartilhar sua ideologia corporativa, tornando-os inclinados a melhor receberem suas mensagens.

***

Bem, e isso é tudo, amigão.

Já dizia a sábia voz celestial em “O campo dos sonhos”: “Construa e eles virão.

Agora dê cá um abraço e mãos à obra.

Até a próxima!

Avalie este artigo:
Abrace-me se for capaz! Relacionamento & Email marketing
5 (100%) 1 voto

ATUALIZAÇÕES GRÁTIS

Cadastre-se abaixo para receber no seu e-mail artigos legais como este!

Gostou? Compartilhe:

Deixe seu comentário!