Saiba como lidar com as oscilações da economia imobiliária

//Saiba como lidar com as oscilações da economia imobiliária

Saiba como lidar com as oscilações da economia imobiliária

A rotina de um profissional do mercado imobiliário não costuma ser entediante. Pendências a resolver, negócios para fechar, concorrência para superar: tudo isso, em meio a diversas oscilações econômicas que, embora sejam características do setor, podem causar um estrago em empresas despreparadas.

Neste texto, vamos nos aprofundar nas variações da economia imobiliária e analisar os fatores que contribuem para tal fenômeno. Além disso, reforçamos a importância de se preparar para lidar com essas variações, apresentando o marketing como um grande aliado em tempos de crise. Confira!

As oscilações da economia imobiliária

Sabemos que as características econômicas de nosso país não são lá muito sólidas. Para ilustrar, basta dar uma olhada na taxa Selic, principal instrumento monetário utilizado pelo Banco Central para combater a inflação. O Sistema Especial de Liquidação e de Custódia influencia todas as taxas de juros do país.

Em abril de 2009, a taxa indicava um valor de 11,25; em setembro de 2015, atingiu 14,25 e hoje, está em 6,40.

Na prática, funciona assim: quando a taxa é alta, os bancos priorizam empréstimos ao governo, cobrando mais caro pelo crédito dado aos consumidores. Quando a taxa é baixa, o cidadão comum paga menos juros.

Nesses 10 anos de variação da taxa, o que aconteceu com o mercado imobiliário? O normal é que, em tempos de baixa, as pessoas sejam encorajadas a investir em imóveis, já que os empréstimos e financiamentos saem mais baratos. Já em tempos de alta, esse investimento se torna mais difícil.

Assim, podemos observar que a flutuação da economia brasileira causa efeitos diretos no setor imobiliário. Portanto, é imprescindível que o corretor esteja preparado para encarar esses altos e baixos.

A importância de saber lidar com as variações

Um corretor é, no final das contas, um vendedor. E todo mundo sabe que a adaptabilidade é uma das principais características nesse tipo de cargo. Para a empresa, a mesma regra se aplica: é preciso sobreviver aos momentos de crise e saber aproveitar os períodos mais positivos.

Por isso, adotar uma estratégia bem elaborada e estruturada para lidar com a oscilação do mercado imobiliário é uma vantagem competitiva de valor inestimável. Na crise, sabemos que os que são pegos desprevenidos são os primeiros a cair.

Afinal, o que pode ser feito para prosperar em tempos difíceis? Há muitos anos, as empresas descobriram que podiam atrair a atenção de consumidores, mesmo que eles não desejassem ou estivessem aptos a comprar seus produtos.

Era o início do marketing, uma ferramenta essencial para a sobrevivência na crise, como mostraremos no próximo tópico.

O marketing como aliado contra a instabilidade

Mais do que uma forma de encorajar as vendas, o marketing é, hoje, uma oportunidade de aproximar a marca do cliente. Se você é familiar com as características do consumidor moderno, entende a importância dessa atividade.

Conforme definido pelo especialista Philip Kotler, lidamos hoje com o consumidor 4.0. Uma de suas peculiaridades mais chamativas é a atenção e o valor dados ao comportamento das empresas, que, para ter sucesso, precisam se adaptar a essas novas exigências.

O consumidor 4.0 enxerga as marcas como parte do corpo social e, portanto, exige que elas se comportem como tal. Assim, empresas que demonstram algum tipo de responsabilidade social, como o compromisso em sustentabilidade ou o apoio a causas comunitárias, largam na frente na corrida pela confiança do público.

Para entender a importância do marketing em tempos de crise, é crucial compreender o que a confiança do consumidor representa atualmente. Cada vez mais, as pessoas confiam menos em publicidade convencional e dão mais atenção às recomendações de terceiros.

Portanto, conquistar a fidelidade de um cliente significa ganhar um aliado na divulgação de seus serviços. Esse fator se mostra ainda mais essencial em tempos de crise, quando os consumidores precisam de um nível ainda maior de confiança para realizar um investimento.

Utilizando o e-mail marketing para construir relacionamentos

Entendida a importância de construir uma relação de confiança com a audiência, vamos apresentar uma das ferramentas mais eficientes nesse processo: o e-mail marketing.

Embora alguns acreditem que o e-mail está obsoleto, uma pesquisa mostra que 95,9% das pessoas checam a caixa de entrada diariamente.

Com tamanho alcance, uma estratégia bem estruturada e que utilize o disparo de e-mails para a audiência tem tudo para estabelecer uma boa relação com o consumidor. Para isso, é preciso conhecer bem o público a ser atingido e produzir um material pertinente às suas características.

Nesse quesito, o e-mail marketing apresenta mais uma vantagem: a segmentação. Você tem a possibilidade de organizar suas listas de contatos de acordo com características em comum.

Ao separar contatos com maior poder de investimento daqueles que não contam com tantos recursos, por exemplo, sua empresa tem a possibilidade de criar campanhas personalizadas para cada grupo, aumentando as chances de conversão.

Mostrando que sua empresa sabe lidar com a crise

Você faria negócio com uma empresa que parece desesperada? Provavelmente não, e nem seus clientes. Um dos fatores mais importantes na comunicação em tempos de crise é passar confiança ao público. Portanto, é importante manter a mesma linguagem e forma de abordagem que vinha sendo apresentada.

Essa coerência ajuda a formar na cabeça da audiência a ideia de que nada mudou, mantendo a autoridade de sua marca inabalada.

Dessa forma, o cliente não contará com motivos para acreditar que está sendo enganado, situação que pode acontecer em casos de aumento drástico de preços ou ofertas desesperadas.

Contar com uma base de consumidores fidelizada e que confia em sua empresa pode ser essencial para a sobrevivência em tempos de crise. Afinal, a grande concorrência no setor, aliada à facilidade de encontrar outras empresas online, provoca maior elasticidade nas decisões de compra.

Assim, o marketing torna-se um grande aliado em tempos de instabilidade na economia imobiliária. Ao fazer uso de uma estratégia bem estruturada, sua empresa se posiciona como autoridade no mercado e, assim, atrai mais possibilidades de negócio.

Pronto para utilizar o marketing para superar as dificuldades na economia imobiliária? Siga-nos nas redes sociais e fique por dentro de mais conteúdos com este. Estamos no YouTube, Instagram, Facebook e LinkedIn!

Sobre o Autor:

Coordenador de Marketing na empresa @MediaPost, atua na área desde 2013. Formado em Marketing e especialista em performance de Marketing Digital.

Deixar Um Comentário

Atendimento online