Remarketing: o que é e qual é a sua relação com o e-mail marketing?

Quem nunca passou pela situação de acessar um site, analisar um produto ou outro e, depois, receber e-mails em relação à pesquisa que fez? Talvez você não saiba, mas essa estratégia se chama remarketing. Para que entenda um pouco melhor do assunto e melhore a performance do seu e-commerce, preparamos um miniguia com as principais indagações a respeito do tema. 

O que é remarketing, afinal?

Como o próprio nome já dá a entender, trata-se de uma forma de realizar o marketing da empresa novamente para o mesmo cliente. Sabendo que o funil de vendas não é um caminho linear que as pessoas percorrem de forma regrada até a marca, não resta outra escolha senão gerar um novo impacto para fisgar a atenção dos consumidores de forma constante.

O foco do remarketing é utilizar o e-mail como meio de comunicação com a base de contatos, seja para lembrar um produto que ficou no carrinho, seja para levar novidades baseadas nos gostos da sua audiência. Partindo do princípio de que cada vez mais é preciso focar no pós-venda e na fidelização de clientes, a utilização desse recurso é muito útil ao processo como um todo.

Existe diferença entre remarketing e retargeting?

Se você já procurou saber o significado de remarketing antes, provavelmente deve ter visto muitos especialistas se referirem ao conceito como um sinônimo de retargeting. Embora pareçam bastante parecidos, é interessante deixarmos claro que remarketing e retargeting são duas vias de uma mesma estrada.

Em termos gerais, a principal diferença entre os dois é que o primeiro exige que você já tenha o e-mail da pessoa cadastrado, enquanto o segundo, com base nos dados de navegação, mostrará anúncios que podem influenciar a decisão de compra. Um tem a missão de focar em leads qualificados e o outro serve mais para dar aquele “empurrãozinho” nos visitantes que não decidiram ainda o que vão adquirir.

Que vantagens o remarketing traz?

A menos que o cliente tenha se identificado bastante com o perfil da sua marca e esteja certo da qualidade dos produtos oferecidos, sabemos bem que raramente uma pessoa faz suas compras logo na primeira pesquisa, não é mesmo? Por isso, o remarketing entra como uma jogada estratégica no xadrez da conversão.

Aquela história de que quem não é visto acaba não sendo lembrado é verdadeira nesse contexto, pois o propósito é fazer com que o consumidor tenha um contato mais direto com a marca. Você pode não ter percebido ainda, mas o marketing de relacionamento exerce um poder incrível na escolha das pessoas por determinado produto ou serviço.

Aos poucos, isso aumenta as chances do seu público retornar ao e-commerce e realizar uma nova aquisição, sendo que, se o processo for bem efetuado, a probabilidade de você formar evangelizadores da marca é grande. Além disso, torna-se possível acompanhar os passos dos clientes, promover campanhas mais objetivas e, consequentemente, maximizar os lucros.

Como essa estratégia funciona na prática?

Ao visitar uma loja virtual, a pessoa é marcada com um cookie de navegação, isto é, um tipo de arquivo que armazena informações relevantes de login, endereço de IP etc. Enquanto o cookie estiver ativo na máquina do visitante, você consegue identificar cada movimentação ou intenção de compra.

Só que, antes de qualquer coisa, a etapa de planejamento é de suma importância para desenvolver uma ação de remarketing coerente com o propósito da marca e eficaz do ponto de vista do engajamento do público. A partir disso, fica mais fácil mapear os leads que estão espalhados em diferentes estágios da jornada de compra.

No entanto, é importante frisarmos que os tipos de e-mail enviados serão diferentes para cada situação. Ou seja: a forma de se comunicar com quem apenas pesquisou o produto não será a mesma estabelecida com aqueles que viram o preço e chegaram a colocar o item no carrinho.

Tendo isso em vista, crie mensagens personalizadas a partir de uma lista de tomadas de decisões. Assim, você produzirá um fluxo de nutrição bem interessante para o negócio.

Quais são as principais dicas para um bom remarketing?

Embora o e-mail seja, por si só, um dos pilares para a construção de um remarketing de qualidade, vale a pena incrementar essa estratégia, a fim de criar uma ponte sólida entre a marca e o público. A seguir, veja algumas dicas para facilitar sua vida nesse sentido.

Integre o remarketing ao inbound marketing

Em vez de limitar a estratégia ao envio sistemático de mensagens, por que não produzir conteúdos que possam despertar ainda mais a atenção dos contatos? Ao combinar o disparo de e-mails com os formulários de landing pages contendo materiais ricos, naturalmente será possível gerar mais leads.

Utilize gatilhos mentais na comunicação

Os gatilhos mentais são estratégias poderosas da neurociência, algo que impacta a percepção do receptor da mensagem e provoca uma reação quanto ao que foi dito ou feito. Para tanto, você pode criar campanhas turbinadas, fazendo uso de gatilhos de urgência, prova social, escassez e antecipação, entre outros.

Faça liquidações de estoque

Não é segredo para ninguém que uma das peças-chave para atrair possíveis clientes é a famosa liquidação de estoque. Desde que organizada, tal iniciativa será uma importante aliada do remarketing e poderá semear ótimos frutos a curto prazo. Isso porque os leads se sentirão estimulados a comprar quando perceberem os preços realmente baixos em relação à concorrência.

Ofereça um tratamento diferenciado ao cliente

Não há nada mais gratificante do que ter alguém que se importa com a gente, não é verdade? O mesmo se aplica ao lado empresarial. No momento em que você demonstrar interesse pelo lead por meio de ofertas especiais, cupons de desconto, acesso exclusivo e demais técnicas, ele se sentirá “querido” pela empresa. Assim, a chance de voltar a comprar será bem maior.

Quais métricas são ideais para medi-lo?

Por fim, não basta desenvolver todo um sistema de remarketing sem observar se a estratégia está dando certo. Afinal, a análise de dados é fundamental para obter um feedback amplo e reposicionar as ações.

Com o intuito de medir o sucesso do que foi feito até então, é necessário averiguar algumas métricas básicas, até mesmo visando à otimização dos recursos financeiros da empresa. O Retorno sobre o Investimento (ROI) é um dos principais indicadores que mostra se há lucro em relação ao que foi investido.

Além disso, você pode optar por mensurar os resultados com o CTR, que remete à proporção de pessoas que clicou no anúncio em detrimento do número de vezes em que ele foi vinculado. Há, ainda, o CPC, que consiste no investimento dividido pelo número de cliques.

Para concluirmos, a lição a ser obtida de tudo o que explicamos é que a conversão é o principal propósito do remarketing. Para tanto, ele é desenvolvido a partir do relacionamento com os visitantes do site.

Gostou de saber mais a respeito do remarketing? Então, siga a gente nas redes sociais para acompanhar as novidades: estamos no  Facebook, YouTube, Pinterest, LinkedIn e Instagram.

Avalie este artigo:
Remarketing: o que é e qual é a sua relação com o e-mail marketing?
5 (100%) 2 votos

ATUALIZAÇÕES GRÁTIS

Cadastre-se abaixo para receber no seu e-mail artigos legais como este!

Gostou? Compartilhe:

Deixe seu comentário!

Atendimento online