Descubra como utilizar as técnicas de copywriting para e-mail marketing!

/, Estratégia/Descubra como utilizar as técnicas de copywriting para e-mail marketing!

Descubra como utilizar as técnicas de copywriting para e-mail marketing!

Muito se ouve falar sobre o termo copywriting, mas nem todo mundo sabe o que ele significa e como usá-lo da forma correta. As técnicas de copywriting tem se propagado no mundo digital, e feito com que redatores e produtores de conteúdos a utilize constantemente para criar textos mais assertivos e que vendem.

Foi se o tempo em que você tinha que ser explícito para vender o seu produto/serviço, a ponto de até irritar o consumidor por fazê-lo sentir-se coagido ou pressionado. Hoje, existem maneiras diferentes e mais úteis de você realizar uma venda, sem precisar ser agressivo, e é isso o que vou compartilhar com você neste artigo. Acompanhe!

O que é como aplicar as técnicas de copywriting?

Copywriting nada mais é que a ação de redigir textos com o objetivo de realizar uma venda, porém sem a utilização de clichês como: “compre agora” ou “aproveite a promoção.” Você até pode usá-las, porém sem exageros e frequência.

Essa técnica serve para informar o cliente sobre aquilo que você vende no mercado e mostrar como ele pode resolver seus problemas, para depois despertar o seu interesse em comprar.

Ela é bem semelhante ao funil de vendas em que você primeiro atrai o cliente pela dor e vai oferecendo soluções para que ele se sinta confortável em resolver o seu problema com você.

Quais tipos de copy existem?

Temos o Short copy (textos menores) que tem o intuito de divulgar promoções das quais não é necessário conter uma apresentação do produto ou serviço a ser ofertado. Geralmente, utiliza-se o short copy para criar anúncios no Google Adwords e Face Ads.

Já o segundo tipo é o Long copy (textos maiores) utilizados para gerar mais audiência, ou seja, fazer com que o público permaneça por mais tempo na página, seja do blog, do site ou até mesmo da rede social.

E no que ele influencia?

Ele tem influência em 3 pilares:

  • Branding
  • SEO
  • Usabilidade, design e experiência do usuário.

✔ Branding 

À medida que você não souber como divulgar sua própria marca utilizando as técnicas de copywriting corretamente, você não estará trabalhando de maneira eficaz.

Para que seu branding tenha um bom resultado e seja autoridade no mercado do seu segmento, além de esclarecer bem a razão da sua marca existir, é preciso que tenha um bom conteúdo que indique como é e funciona sua corporação.  

✔ SEO

Não é somente pesquisa de palavras-chave. O SEO vai além disso, pois requer uma boa escrita com o uso correto da gramática e ortografia, uma ótima escaneabilidade, ou seja, conteúdo dividido em intertítulos para dar a impressão ao leitor de que ele não está lendo um texto longo.

Afinal, ninguém gosta de rolar a página para ver até onde vai o conteúdo, exceto se a pessoa realmente estiver interessada. E por último, a escolha das palavras-chave precisa ser bem feita para usar as técnicas de copywriting corretamente e ter um bom retorno orgânico no Google.

✔ Usabilidade, design e experiência do usuário

Sim, isso também conta! E para um bom resultado com seu e-mail marketing, você precisa se ater à relevância que estará oferecendo em seu conteúdo – promocional, relacionamento, institucional -, como também à arte em si e facilidade que o leitor terá para tomar decisões e clicar em seu CTA.

Pense bem no título da peça, na introdução ou primeira chamada, no modelo e texto que irá dentro do CTA e na mensagem em si, lembrando sempre de divulgar o que deseja com clareza e benefícios.

E como fazer uma copy perfeita?

Não é nenhum bicho de 7 cabeças, muito pelo ao contrário, são apenas princípios básicos que você precisa ter para conseguir dar continuidade.

  • Primeiro: pesquise sobre a sua persona; saiba quem é o seu público. De nada adianta escrever se você não souber para quem está fazendo isso. Conhecer o seu público, seus costumes e gostos facilita muito na tomada de decisão sobre o que você irá ofertar a ele.
  • Realize uma pesquisa online (via e-mail, redes sociais) ou offline (formulários, telefonema) para entender melhor seu público e desenhar sua persona. Saiba como criar personas aqui.
  • Segundo: conheça sua marca. Não existe nada pior que uma pessoa que não sabe o que ela mesma está vendendo ou tem de melhor para oferecer.
  • Terceiro: tenha domínio sobre seu produto ou serviço. Se você quer vender, forçar a persuasão somente não rola. Você precisa entender, de fato, sobre aquilo que você vende e mostrar o porquê é bom e diferente no mercado e dos concorrentes.

Entendendo com quem você vai se comunicar, como e qual maneira utilizará para tal, você irá longe!

Segundos passos…

✔ Seja objetivo

Estabeleça o objetivo e qual ação seu cliente deverá tomar em seu e-mail, mas atente-se, pois o objetivo precisa estar atrelado ao estágio da base de contatos dele, ou seja, às temperaturas: limpeza, aquecimento ou relacionamento. Entenda melhor sobre as temperaturas da base de contatos aqui.

Outro ponto importante é que você deve oferecer aquilo que o cliente quer, o que significa? Significa que se ele está à procura de tênis para correr, não é cabível enviar promoção de sapatênis, por exemplo.

Além disso, mostre os benefícios com emoção naquilo que está sendo divulgado. O cliente precisa sentir o desejo de comprar de você.

✔ Personalidade e simplicidade valem ouro!

Escreva de modo ao qual as pessoas se sintam confortáveis em ler e entendam o que você está falando. A comunicação, principalmente por e-mail, precisa ser de um para um, ou seja, de pessoa para pessoa. É muito melhor receber um e-mail enviado pela Bárbara do que por uma empresa X.

Outra questão é que a simplicidade também conta, por isso, seja o mais claro possível e objetivo, mas conduza o seu cliente à ação que você deseja que ele tome. Não dificulte o processo e nem utilize termos cultos demais ou muito engessados. Uma conversa descontraída, porém bastante eficiente, faz toda a diferença!

✔ Conte histórias, mas claro, coerentes

Contar histórias me remete muito à infância, e por falar nelas, quem não gosta de uma história bem contada? Histórias fazem parte dos gatilhos mentais e são boas para serem usadas, entretanto, elas precisam fazer sentido para não causar má impressão e parecer que você está enchendo linguiça.

Uma boa maneira de contar histórias para vender um produto, é com o storytelling. Veja aqui algumas maneiras de elaboração eficazes.

✔ Se apoie em referências consistentes

Analisar o mercado, acompanhar as tendências, saber o que seus concorrentes fazem é uma boa maneira de inovar. Encontre meios de criar conteúdos e até mesmo layouts diferentes e criativos para suas campanhas de e-mail marketing.

Inscreva-se em outros canais de e-mail marketing, newsletter e páginas de vendas para saber como é a comunicação das empresas. Quando você buscar referências, não se esqueça de armazená-las em um banco de dados. É possível fazer isso utilizando o Keep ou o Tarefas do Google em seu gmail como também o evernote.

✔ Repita 3 vezes

Utilize as técnicas de copywriting para repetir três vezes os pontos mais importantes sobre a ação que você quer que o seu cliente faça é necessário, porém não é preciso usar a mesma palavra nas três vezes. Use palavras diferentes para dizer a mesma coisa, ou melhor sinônimos.

É preciso também fazer com que as pessoas acreditem na essência do seu produto/serviço, isto é, naquilo que ele tem de melhor e no que ele transformará a vida da pessoa que o comprar.

A base é o conceito AIDA. Conhece?

Há muitas teorias de análises sobre o comportamento do consumidor e no meio digital, este conceito AIDA (Atenção, Interesse, Desejo e Ação) é um dos modelos mais usados no marketing digital, inclusive, nas técnicas de copywriting, pois ele representa as fases ou etapas que o cliente deve passar, de maneira, progressiva, para tomar a decisão de conversão. Seguindo o modelo AIDA junto aos gatilhos mentais, é possível criar um ótimo copywriting.

A-TENÇÃO

Aqui você irá trabalhar a grande promessa, que tanto pode acontecer já no assunto do e-mail, quanto na mensagem como um todo, de preferência na chamada. Ao criar a promessa, você precisa trabalhá-la de forma clara, a fim de transmitir ao leitor que ele conseguirá alcançar seu objetivo facilmente.

I-NTERESSE

Neste momento é ideal trabalhar com as objeções. Para tal, utilize depoimentos de clientes que já usaram seu produto/serviço e gostaram; esses cases são ótimos para endossar o benefício que você oferece e mostrar à pessoa que sim, seu produto funciona!

D-ESEJO

Assim que você tirar as objeções, foque nos benefícios. Mostre o porquê ele deve comprar seu produto e no que ele irá transformar a vida da pessoa, o que difere você dos demais concorrentes.

A-ÇÃO

Hora do xeque-mate, do vai ou racha ou do agora ou nunca! Nesta última fase é o momento que você irá utilizar os gatilhos mentais como isca. Portanto, saiba bem qual gatilho irá utilizar e se é condizente com a mensagem em si. E claro, elabore um bom CTA (call-to-action).

Gatilhos mentais, quais usar?

  • Reciprocidade: muito utilizado em inbound marketing quando é oferecido um material rico que irá agregar valor para o cliente.
  • Prova social: serve para prestar autoridade à sua marca. Geralmente ele é usado em depoimentos, dados estatísticos e situações que mostram como o seu produto/serviço é bom e diferente no mercado.
  • Antecipação: usado bastante para lançar produtos e ou algum desconto que está prestes a acontecer. Este gatilho desperta outro que é o da curiosidade e quando utilizado de maneira correta, ele funciona super bem.
  • Porque: perfeito para persuadir a pessoa sobre o porquê ela precisa comprar de você e não do concorrente. Este gatilho é usado quando você apresenta motivos para a pessoa, a fim de fazê-la tomar alguma ação.
  • Referência: trata-se da forma como você faz comparações (implícitas) sobre seu produto/serviço e o do seu concorrente. Aqui é o momento ideal para mostrar as experiências que o cliente terá comprando de você e como terá sua vida transformada.
  • Escassez: se você for realizar alguma campanha com duração limitada, este gatilho é uma ótima opção, porque ele dá a ideia de que o produto está acabando ou pode acabar a qualquer momento. Faça o teste com algum produto que você queira vender rapidamente e utilize este atalho mental. Dá certo!
  • Urgência: ao contrário da escassez, este gatilho ativa o medo, ou seja, implica na pessoa o receio de perder o produto ou serviço que você está ofertando. Uma empresa que emprega muito isso é o Groupon. Geralmente, utiliza-se o gatilho da urgência na Black Friday.

Esses gatilhos mentais são extremamente poderosos e devem ser usados com ética, uma vez que você não entrega ao público aquilo que é prometido, saiba que seu negócio está fadado ao fracasso.

Espero que este material tenha explanado suas ideias a respeito das técnicas de copywriting, para você elaborar ótimas estratégias de e-mail marketing utilizando essa técnica incrível e infalível. Aproveite para agregar mais seu conhecimento com este e-book sobre “Jornada de Nutrição e de Compra” e saiba o que enviar em cada estágio do funil.

Qualquer dúvida estou às ordens.

Um abraço e sucesso!

Sobre o Autor:

Analista de Marketing e Copywriter PRO, é especialista em conteúdo de funil para e-mail marketing e estrategista de SEO com foco em persuasão e influência.

Deixar Um Comentário

Atendimento online