Dicas de como aplicar o Neuromarketing em suas ações digitais.

/, Resultados/Dicas de como aplicar o Neuromarketing em suas ações digitais.

Dicas de como aplicar o Neuromarketing em suas ações digitais.

Neurociência + marketing = RESULTADO. 05 Dicas de como aplicá-la em suas ações digitais!

A neurociência revela como o cérebro produz o nosso comportamento. Aplicá-la as suas estratégias de marketing, permitirá que você identifique o comportamento do seu consumidor e quais mecanismos você deve elaborar para que esse processo seja potencializado.

Neurociência + marketing = NEUROMARKETING

neuromarketing

Os neurologistas descobriram que o poder de compra esta no subconsciente. Esse enigmático inconsciente representa de 90 a 95% das nossas decisões.

A neurociência completa os espaços vazios do marketing quando se propõe a compreender o comportamento do consumidor no seu inconsciente. Mas para isso é necessário entender o principal órgão do corpo humano: o cérebro.

Comprar ou não comprar? Nosso cérebro em 03 partes:

comprar-ou-nao-comprar

  1. Reptiliano (Instintivo e Sobrevivência): nos remete aos comportamentos mais instintivos, como o de sobrevivência, medo e comportamento não racional.
  2. Límbico (emocional): é através dele que nos relacionamos com pessoas, criamos amizades e inimizades, por exemplo.
  3. Neocortex (Racional): responsável pela parte analítica, engloba o raciocínio, lógica e a capacidade de escolha. Em suma, esse é o processo mais completo de pensamentos. É através dele que compreendemos o que significam os impulsos vindos do sistema límbico ou reptiliano, nele filtramos o que devemos ou não fazer. Comprar ou não comprar?

Para que a resposta seja sempre a primeira alternativa, separei 05 dicas do livro “Neuromarketing Aplicado á Redação Publicitária”, de Lilian S. Gonçalves, para sua marca não passar despercebida pelas pessoas. Confira:

1. Desperte os Neurônios-Espelho

desperte-os-neuronios-espelho

Mostrar seu produto sendo consumido por outros, isso fará com que as pessoas tenham vontade de experimentá-lo. O “neurônio-espelho” é o motivo pelo qual imitamos involuntariamente outras pessoas. Um bom exemplo é o ato de bocejar, quando você vê alguém bocejando é inevitável não bocejar também.

2. Eleve os marcadores somáticos

eleve-os-marcadores-somaticos

O neuromarketing revela que os consumidores tendem a se fidelizarem as marcas que os atenderam bem e que possuem valores que eles compartilham. Sensações positivas  fazem os consumidores se lembrarem de você. O cheiro da batata frita do “McDonalds”, por exemplo.

3. Injeção de Dopamina

injecao-de-dopamina

Muitas decisões se baseiam em experiências positivas passadas. Comprar libera uma substância chamada dopamina, que uma das substâncias mais viciantes e sedutoras. O inconsciente grava essa lembrança e aguarda ansiosamente para uma nova injeção. Quanto melhor for a experiência de compra, mais tentado por comprar novamente de você ele ficará!

4. Dê passagem ao marketing sensorial

marketing-sensorial

O som do motor da Ferrari, o barulho de abrir uma latinha, cheiro do Big Mac são exemplos de ferramentas que aguçam o cérebro e fazer os neurônios cantarem em coro “eu quero”. É importante criar mensagens textuais descrevendo verdadeiramente o uso do produto ou serviço, seus benefícios, as vantagens competitivas. As caixas que embalam as roupas da empresa Farm Rio vem com o perfume da loja e tomam conta do ambiente ao serem abertas. Quanto mais caixas abertas, mais cheiroso ficará o quarto, casa ou escritório, portanto, comprar sempre é quase uma obrigação!

5. Desafie o cérebro

desafie-o-cerebro

O cérebro adora um desafio, mas para o inconsciente o menos é sempre mais. Portanto seja direto e objetivo no jogo proposto e não se exceda nas informações, pois isso pode leva-lo a abandonar o inconsciente na hora de efetuar a compra. Entender a mente humana é a resposta para muitas perguntas e um dos caminhos para o seu sucesso.

Continue com a gente! Assine nossa news para receber semanalmente um conteúdo novo.

Sobre o Autor:

Especialista em vendas há 9 anos e com amplo conhecimento em gestão de novos negócios. Atualmente, é supervisora e seu objetivo é identificar oportunidades de vendas.

2 Comments

  1. William 17 de agosto de 2016 em 11:05 - Responder

    Acredito plenamente que entender o comportamento do consumidor é o principal elemento para construção de campanhas e estratégias de marketing.

    Para se fazer excelente campanhas utilizando neuromarketing, utilize gatilhos mentais, é a ponte que leva a publicidade ao sistema límbico do cérebro.

    Grande Abraço,
    William Alves

    • Gabriela Rezende 17 de agosto de 2016 em 11:55 - Responder

      Olá, William.

      Obrigada pelas considerações.

      Acho que um dos grandes desafios é entender a mente humana.

      Abraço.

Deixar Um Comentário

Atendimento online