História do e-mail marketing: 2018 marca os 40 anos do primeiro envio

//História do e-mail marketing: 2018 marca os 40 anos do primeiro envio

História do e-mail marketing: 2018 marca os 40 anos do primeiro envio

Quando você pensa em e-mail marketing, logo vem o terrível spam à sua mente? Saiba que isso não está tão fora de contexto assim. Na realidade, tudo começou com o envio de mensagens em massa e muitos clientes insatisfeitos.

2018 marca os 40 anos do envio do primeiro e-mail marketing. Em maio de 1978, o comerciante chamado Gary Thuerk enviou uma mensagem para 400 consumidores em potencial. O resultado foi uma enxurrada de reclamações sobre a falta de privacidade — e a base para uma das ferramentas mais eficazes do marketing digital.

Embarque conosco em uma viagem ao tempo! Continue a leitura e aprenda um pouco mais sobre a história dessa estratégia e sua importância no mercado digital.

Os primeiros dias do e-mail marketing

Os primeiros dias do e-mail marketing se resumem a mensagens de spam que invadiam a privacidade e as caixas de entrada dos endereços virtuais dos usuários. Naquela época, já existiam profissionais de marketing que enviavam e-mails para clientes em potencial, mas nenhum realmente interessado em recebê-los.

Afinal, ninguém havia se inscrito para o recebimento da newsletter, como ocorre atualmente. É óbvio que aquelas mensagens não contavam com os mesmos recursos de hoje, pois não existiam os conceitos atuais sobre conteúdo, ferramentas de HTML ou sequer uma preocupação com o design.

Ainda assim, o e-mail em massa gerou nada menos do que 13 milhões de dólares para o negócio, prevendo o sucesso que a ferramenta poderia alcançar nos dias de hoje.

Os primeiros anos

Muitas coisas aconteceram desde o ano de 1978 até o fim da década de 1990. Inclusive, houve o batismo das mensagens enviadas por meio do correio eletrônico: e-mail. Após o envio em massa, o mercado tecnológico continuou evoluindo até que, em 1989, o Oxford English Dictionary acrescentou a expressão e-mail como uma abreviação de correio eletrônico.

No mesmo ano, especialistas fizeram uma previsão equivocada sobre o envio dessas mensagens: elas seriam substituídas pelos aparelhos de fax e pelo envio de mala direta.

É verdade que o envio de publicidade pelos Correios funcionou durante muito tempo e ainda é uma estratégia bastante efetiva em alguns casos isolados. Porém, não podemos negar que o marketing digital revolucionou a forma de fazer negócio e conquistar clientes.

A década de 1990

Até a década de 1990, os principais canais de marketing e publicidade eram o telefone ou os Correios — e seus custos se mostravam bastante elevados. Portanto, os profissionais da área viram no e-mail uma forma rápida e econômica de chegar até os clientes e consumidores em potencial.

Assim, mesmo que ainda não fosse tão popular para a maioria das pessoas, as empresas e seus colaboradores começaram a investir pesado nessa estratégia (principalmente com a chegada do Hotmail, em 1991). Ao ser lançado o primeiro serviço de correio eletrônico gratuito, os profissionais viram a oportunidade perfeita de atingir o público.

De 1993 a 1996, a AOL e o Yahoo também lançaram seus serviços de e-mail gratuito. Então, as caixas de entrada começaram a ficar lotadas de spam, obrigando os servidores, as empresas e até o Poder Legislativo a implementarem regras de combate às mensagens indesejadas.

A primeira medida foi tomada em 1996, por uma empresa chamada Xoom. Ela utilizou o próprio spam para anunciar uma ferramenta de filtragem anti-spam, enviando uma propaganda do Email Robot a mais de seis milhões de usuários.

Em 1998, entrou em cena a Lei de Proteção de Dados. No mesmo ano, surgiu a palavra spam para denominar o envio e recebimento de mensagens indesejadas. A prática já deixava os usuários bastante descontentes e, por isso, os servidores acrescentaram a opção de enviar tais informações para a lixeira.

Os anos 2000

Nos Estados Unidos e na Europa, a Lei de Proteção de Dados de 1998 foi introduzida apenas em 2003. A proposta, que regulamentava o uso dos e-mails comerciais, recebeu atualizações até 2004 para controlar a privacidade e o envio de e-mail marketing, criando um sistema de validação — que ajuda a evitar o spam até hoje, ao verificar o IP do remetente.

2004 também foi o ano de lançamento do Gmail, considerado a ferramenta que revolucionou o envio de e-mails no mundo todo, pois proporciona uma experiência de usuário muito superior à do Yahoo e da AOL. O Gmail busca se renovar e inovar até hoje, acrescentando ferramentas como o armazenamento em nuvem, o compartilhamento de documentos e uma opção de chat.

As redes sociais e os smartphones também têm papéis bastante expressivos na história do e-mail marketing. O Facebook foi lançado em 2006 e, pouco mais de um ano depois, já colecionava mais de 100 mil páginas de negócios. Em 2007, a Apple lança o iPhone e muda a maneira dos usuários se relacionarem por meio dos e-mails.

A alteração no tamanho das telas e os processadores mais ágeis incentivaram os designers a investirem em formatos mais criativos e mecanismos para despertar nos usuários o interesse em abrir as mensagens. Isso permitiu uma atuação cada vez mais estratégica.

A década de 2010 até os dias atuais

Com o passar dos anos, os e-mails foram agregando ferramentas para deixar o usuário cada vez mais protegido das mensagens indesejadas. Isso obrigou as empresas, as agências e os profissionais de marketing a desenvolverem estratégias para que os e-mails se tornassem interessantes para as pessoas.

Surgem, então, os gatilhos para isso, como o conteúdo dinâmico, interativo e bem estruturado, os boletins informativos e a segmentação estratégica. O envio era uma reação ao comportamento do usuário online — como vemos nos dias de hoje, por meio da assinatura de uma newsletter e da produção de mensagens de acordo com os estágios do funil.

As transformações na estrutura da sociedade também foram responsáveis por tal mudança. O fato de os e-mails marketing serem abertos inclusive em smartphones acendeu um alerta para as empresas, revelando o público para o qual as apostas deveriam ser direcionadas.

Entram em cena os indicadores de desempenho, as métricas de avaliação, as estratégias de conversão e outros instrumentos do marketing digital que são amplamente usados atualmente. O uso do e-mail evoluiu de tal maneira que assumiu um importante papel no desenvolvimento da imagem das marcas e na captação de clientes.

Bônus: o que esperar para o futuro

Para o futuro, espera-se que os profissionais adotem uma abordagem que diferencie as empresas dos concorrentes. Afinal, as estratégias de e-mail marketing já se popularizaram e, caso não se desenvolvam, correm o risco de adquirirem o caráter de spam novamente.

Uma vez que os clientes estão sujeitos a assinarem dezenas de newsletters, é necessário enviar um conteúdo que se destaque dos demais. As campanhas devem despertar a curiosidade e oferecer algo único aos usuários. Avaliando as métricas corretas, é possível testar e repensar quantas vezes forem necessárias até atingir o resultado esperado.

Aprender sobre a história do e-mail marketing é fundamental ao negócio que não quer ficar para trás. Essas informações possibilitam uma reflexão do passado e uma projeção do futuro, para que você trabalhe em prol de melhorias quanto ao marketing digital da sua empresa.

Que tal iniciar a evolução da sua marca no mundo digital agora mesmo? Baixe nosso e-book sobre e-mail marketing para e-commerce e corra atrás dos melhores resultados!

2019-02-07T11:00:51+00:00By |Novidades|0 Comentários

Sobre o Autor:

Formado em Marketing e pós-graduado em Comunicação Empresarial, é especialista em performance de Marketing Digital com foco em e-mail marketing.

Deixar Um Comentário

Atendimento online